Há um melão em cada ano

duas-fatias-melao

 

 

 

 

Há um melão em cada ano

por abrir

uma surpresa temida ou desejada

e uma sabedoria milenar

ressoa na memória a sugestão

de que basta a cada ano

o seu próprio mal. Agarro a faca e espeto

o fruto

antecipo a doce textura da sua polpa

num interior apetecivelmente

divino.

 

 

© Brissos Lino

1/1/13

Lugares misteriosos

Lugares misteriosos podem ser encontrados em todo o mundo. Enquanto praticamente todos nós já tentamos entrar em uma casa mal assombrada durante um desafio de infância, essa lista trata de 10 lugares especialmente assustadores, seja por causa de sua aparência, seja por causa de sua associação com histórias nada alegres. Confira:

1 – PÂNTANO DE MANCHAC

Fantasmas, sepulturas em massa, jacarés, e árvores com aparências assustadoras decoram este pântano horrível em Louisiana, nos EUA.

As fotos resumem a reputação assombrada do local. Em 1915, Julia Brown previu o dia de sua morte ao cantar uma canção que dizia “Quando eu morrer vou levar toda a cidade comigo”. O funeral de Julia foi destruído quando um vento e uma tempestade carregaram centenas de pessoas até uma terrível morte nas profundezas do pântano de Manchac. Quem passa por lá diz ouvir os gritos das vitimas. Aparições também são comuns.

E ser assustador não é novidade para o local. Séculos atrás, o Pântano da Louisiana era o ponto predileto para práticas vudu. Relatos sobre zumbis que vagavam pelo pântano e rituais de sacrifícios humanos feitos pelos senhores de fazendas para manter sua prosperidade eram comuns. Dizem ainda que o pântano foi o lar de uma rainha-bruxa.

Se você é um cético de carteirinha, vai ficar feliz em saber que, pelo que podemos provar, só tem crocodilos em Manchac – o que já é suficiente para nos manter longe de lá. Se você é dos curiosos, no entanto, existem excursões com tochas à meia-noite pelo pântano. Cenas do filme A Colheita do Mal foram gravadas no local, o que o torna um bom destino turístico no quesito “terror”.

2 – MANICÔMIO CANE HILL

Cane Hill era um asilo em Croydon, nos arredores de Londres, em funcionamento até 1991, quando todo mundo simplesmente deixou o local. Alguns dos internados foram transferidos para outras facilidades, mas o hospital e grande parte de sua aparelhagem médica ainda permanece no prédio abandonado original.

Construído em plena Era Vitoriana (e, portanto, um ótimo material para histórias de terror), o imenso complexo formado por um enorme hospital, asilo psiquiátrico e prédios que serviam como alojamento para os pacientes chegou a abrigar mais de 2.000 mil internos em seu período de ouro. Quando as atividades se encerraram, o lugar lentamente se converteu em uma ruína.

Ainda hoje, no entanto, atrai curiosos interessados em explorar seus corredores e vasculhar os aposentos que um dia foram ocupados por “loucos”. Claro que todo o tipo de lenda cerca essas excursões.

3 – RUÍNAS DE BHANGARH

Bhangarh é uma cidade abandonada que fica em Rajastão, na Índia. Ela foi criada para um príncipe como um memorial em homenagem aos seus esforços de guerra. É amplamente considerado o lugar mais assombrado do país.

Erguida em 1573, foi abandonada em 1783 devido a uma suposta maldição. O lugar é tão assombrado que é ilegal entrar lá depois do pôr do sol ou antes do nascer do sol.

Segundo a lenda, a cidade de Bhangarh foi amaldiçoada pelo guru Balu Nath, que disse que “O momento em que as sombras de seus palácios me tocarem, a cidade não existirá mais!”. Quando um príncipe levantou um palácio a uma altura que lançou uma sombra sobre a moradia de Balu Nath, ele amaldiçoou a cidade. O guru está supostamente enterrado lá.

Existe ainda um outro mito: a lenda da princesa de Bhangarh, Ratnavati. Ela é considerada a joia do Rajastão. Em seu aniversário de dezoito anos, ela começou a receber ofertas de casamento de outras regiões. Na mesma região que ela, no entanto, vivia um mágico especialista em ocultismo, chamado Singhia, que era apaixonado pela princesa. Encontrando-a no mercado um dia, ele usou sua magia negra sobre o óleo que ela estava comprando de modo que, ao tocá-lo, a princesa se rendesse a ele. Ela, no entanto, percebeu a armadilha e colocou o óleo no chão. Conforme o óleo atingiu o solo, transformou-se em um pedregulho que esmagou Singhia. Morrendo, o mágico amaldiçoou o palácio com a morte de todos os que habitavam o mesmo. No ano seguinte, houve uma batalha entre Bhangarh e Ajabgarh em que a princesa Ratnavati morreu.
Moradores locais acreditam que a princesa Ratnavati nasceu em outro lugar e que o forte e o império de Bhangarh estão à espera de seu retorno para pôr um fim à maldição.

As ruínas de Bhangarh cobrem uma vasta área, muito frequentada por turistas. Toda a área é protegida pelo governo indiano, que criou um órgão para estudar a cidade. Vale notar que os escritórios não foram construídos na área arqueológica onde é atribuída a maldição “noturna”, e sim a alguns quilômetros de distância, onde também foi construído o resort Amanbagh, um hotel luxuoso, bom ponto de partida para os que pretendem visitar a zona.

4 – CENTRALIA

Em 1962, em Centralia, Pensilvânia (EUA), um grupo de bombeiros ateou fogo no lixo em uma mina de carvão abandonada, a fim de limpar a cidade. O fogo fez o seu caminho para os recantos mais profundos do local, e tem queimado lá desde então sob as ruas vazias da cidade. Gases venenosos, estradas em colapso e fogo fazem de Centralia uma espécie de “centro do perigo”.

O local é a verdadeira inspiração do primeiro filme baseado em Silent Hill. A cidade agora fantasma contava com cerca de 5 mil habitantes na década de 1960. O terrível incêndio subterrâneo simplesmente devastou a região, com chamas que continuam ardendo na terra, mesmo após mais de 40 anos desde o incidente.

5 – PORTA DO INFERNO

Porta do ou para o Inferno é um buraco de 100 metros de largura encontrado no Turcomenistão. Um acidente de perfuração em 1971, durante a União Soviética, causou esse furo gigante que vaza gases perigosos. Cientistas perceberam que a melhor solução era queimá-los, e atearam fogo nos gases. Desde então, eles ainda queimam sem parar, e seu brilho pode ser visto a quilômetros de distância. Não se sabe quando (ou se) o fogo vai se extinguir.

Também conhecido como Darvaz, Darvaza, ou Derweze (“O Portão”, em turcomano), o buraco fica em uma vila com esse nome com cerca de 350 habitantes, localizada a 260 quilômetros ao norte de Ashgabat, no meio do deserto de Kara-Kum. A região é rica em petróleo, enxofre e gás natural.

6 – SANTUÁRIO DE TOFETEO Santuário de Tofete fica na Tunísia. É o lar de milhares de túmulos de crianças, o que levou os historiadores a especularem que elas podem ter sido vítimas de sacrifício humano nos tempos púnicos, quando o lugar era conhecido como Cartago. É possível que as crianças tenham sido sacrificadas e depois comidas devido à fome na região na época.Na cultura cartaginês, denomina-se de tofet ou tofete um recinto sagrado ao ar livre situado na periferia dos centros coloniais, em que se praticavam sacrifícios e se incineravam crianças de tenra idade.

7 – ACTUN TUNICHIL MUKNAL

Actun Tunichil Muknal é uma caverna encontrada em Belize que abriga os restos de esqueletos e artefatos arqueológicos dos Maias. O morador mais fascinante desse local é uma jovem que foi vítima de sacrifício humano. Seus ossos calcificados brilham como cristal, tornando-a um pouco mais assustadora que o esqueleto comum. É o único esqueleto que permaneceu inteiro depois de tantos anos, e cuja aparência dá o nome à gruta.

Ela foi sacrificada aos deuses no que os maias acreditavam ser as portas do inframundo. Eles achavam que as grutas eram entradas para o inframundo, Xibalbá (“local do medo”), onde habitam os espíritos do sofrimento, doenças e morte, conhecidos como os senhores de Xibalbá. Ao contrário de outras crenças, os maias não acreditavam que tal local era metafisico, psicológico ou metafórico, mas sim tão físico como o mundo que habitamos.

8 – PRIPYAT

Pripyat é uma cidade fantasma ucraniana. Ela foi fundada para abrigar os trabalhadores de Chernobyl, e, desde o desastre nuclear, ficou totalmente vazia. Visitas são permitidas, mas as estadias precisam ser curtas e restritas. Essas imagens ilustram a realidade assustadora do que uma guerra nuclear poderia fazer com o planeta.

9 – AOKIGAHARA

Também conhecido como o Mar de Árvores, Aokigahara é uma floresta perto do Monte Fuji, no Japão. Sua fama vem do fato de ser um lugar incrivelmente popular para se cometer suicídio – tanto que grupos de busca anuais são enviados para a floresta para recuperar os corpos dos falecidos.

A floresta contém um grande número de rochas e cavernas de gelo, alguns dos quais são pontos turísticos populares. Devido à densidade das árvores, que bloqueiam o vento, e à ausência de vida selvagem, Aokigahara é conhecida por ser estranhamente silenciosa. Lendas de demônios e espíritos malignos característicos da mitologia japonesa são comuns. Em 2010, 54 pessoas se suicidaram na floresta. Em média, são encontrados cem corpos por ano lá, alguns em avançado estado de putrefação ou até mesmo somente seus esqueletos.

10 – CEMITÉRIO CHACUILLA

Nazca é uma cidade localizada no centro-sul do Peru. Situada 450 km ao sul da cidade de Lima, em um vale estreito, é famosa pelas Linhas de Nazca. Essas linhas e desenhos no chão do deserto são misteriosos e teriam demorado muitos, mas muitos anos para serem construídos. Datações de carbono 14 feitas com pedaços de jarras de argila não queimada encontradas perto dos desenhos indicam uma data de aproximadamente 500 anos dC.

Nas proximidades desse mistério, entretanto, fica o assustador e pouco conhecido Cemitério Chacuilla. O lugar é cheio de restos humanos dos povos pré-hispânicos do Peru. Uma região realmente estranha.[ListverseTecMundoViajandoMansãodoMedo,MundoTentacularPortugalParanormalNaRotaDosMaias]

Fonte: Natasha Romanzoti, no HypeScience, via Pavablog.