Biblioteca

  • “Padre António Vieira: o imperador da língua portuguesa”, coord. J. Eduardo Franco, Ed. CM.
  • “6000 anos de pão”, de Heinrich Eduard Jacob, Ed. Antígona.
  • “De Profundis, Valsa Lenta”, de José Cardoso Pires, Ed. Dom Quixote.
  • “Rio das Flores”, de Miguel Sousa Tavares, Ed. Oficina do Livro.
  • “The Oxford History of Christianity”, org. John McManners, Ed. Oxford University Press, 1993, Oxford.
  • “Uma história de Deus”, de Karen Armstrong, Ed. Círculo de Leitores. Judaísmo, Cristianismo e Islamismo: uma busca de 4000 anos.
  • “O idoso, a doença e o hospital”, de Dulce Gaspar Cabete, Ed. Lusociência. O impacto do internamento hospitalar no estado funcional e psicológico das pessoas idosas.
  • “Porquê, meu Deus?”, de Abbé Pierre, Ed. Dom Quixote. Pequenas meditações sobre a fé cristã e o sentido da vida.
  • “Perspectivas paulinas”, de Ernst Kasemann, Ed. Teológica. Uma tentativa de reunir, com um método novo, e de um ponto de vista diferente, alguns dos aspectos mais importantes da teologia paulina.
  • “A Pergunta de Job: o homem e o mistério do mal”, de Sebastião J. Formosinho e J. Oliveira Branco, Ed. Universidade Católica.
  • “Contos”, de Hans Christian Andersen, Ed. Círculo de Leitores. Um clássico do escritor dinamarquês, com ilustrações de Nicolaus Heidelbach.
  • “Los dioses y el pecado en Babilonia”, de Olegário Garcia de la Fuente, Ed. Real Monasterio de El Escorial. Integrado na colecção “Biblioteca ‘La Ciudad de Dios”, o estudo centra-se em torno da ideia de pecado, do ponto de vista objectivo e subjectivo, e apresenta uma síntese do ideal moral dos babilónios e seu conceito de divindade.
  • “Atlas des Religions”, de Brigitte Dumortier, Ed. Autrement. Crenças, práticas e territórios.
  • “Povo dos Faraós”, de Hilary Wilson, Ed. Lyon. Abordagem à vida quotidiana no Egipto Antigo, feita por uma egiptóloga britânica.
  • “À Sombra do Templo: as influências do Judaísmo no Cristianismo primitivo”, de Oskar Skarsaune, Ed. Vida. Redescobrindo as raízes judaicas da fé e praxis cristã.
  • “Surpreendido pela Alegria”, de C. S. Lewis, Ed. Mundo Cristão. Publicado originalmente em 1955, é uma das autobiografias espirituais mais lidas do século XX. Um clássico do (por muitos considerado) maior escritor cristão do século passado, e autor das “Crónicas de Nárnia”.
  • “A Espiritualidade no processo terapêutico”, de Isabel Lourenço, Ed. Quarteto. A compreensão da importância da espiritualidade no processo de recuperação dos doentes, partindo da escuta dos próprios doentes.
  • “Cartas entre Freud e Pfister (1909-1939): um diálogo entre a psicanálise a e fé cristã”, Org. Ernest Freud e Heinrich Meng, Ed. Ultimato.
  • “A Linguagem de Deus”, de Francis S. Collins, Ed. Presença. Bestseller do New York Times. O autor procura apresentar provas para a fé a partir da ciência.
  • “E se Jesus não tivesse nascido?”, de D. James Kennedy com Jerry Newcombe, Ed. Vida. Pastor presbiteriano e teólogo, autor de mais de cinquenta livros, reitor do Knox Theological Seminary, e fundador do Center for Christian Statesmanship, em Washington, o autor liga, nesta obra, os grandes avanços da civilização ocidental e conquistas da humanidade à influência do Cristianismo.
  • “A Mente Doente”, de Paul Martin, Ed. Bizâncio. O autor, licenciado em Ciências Naturais, por Cambridge, e doutorado em Biologia Comportamental, docente e investigador de Cambridge, desenvolve a ligação entre cérebro, comportamento, imunidade e doença, de forma magistral. Obra integrada na colecção “A Máquina do Mundo”, dirigida por J. Félix Costa. A revista “Times Literary Supplement” classifica este livro como “uma obra-prima de divulgação”.
  • “Dom Casmurro”, de Machado de Assis, Ed. Europa América.
  • “História do Cristianismo”, de Carter Lindberg, Ed. Teorema. Professor Emérito de História da Igreja, na Universidade de Boston, Lindberg procura, nesta obra, estabelecer uma articulação entre os diferentes eventos e momentos históricos do Cristianismo na Europa.
  • “Madeirenses errantes”, de Ferreira Fernandes, Ed. Oficina do Livro. A saga de quase dois mil portugueses convertidos à fé reformada, no século 19, e que fugiram do arquipélago para salvar a vida, encetando uma diáspora que passou pela ilha da Trindade, Caraíbas, Ilinóis e Havai.
  • “Manuscritos do Mar Morto”, de Geza Vermes, Ed. Ésquilo. A 1ª. edição portuguesa de um dos maiores achados arqueológicos de todos os tempos. A revista “Times” afirma não haver tradução dos Manuscritos “mais legível e mais competente academicamente” do que a do autor.
  • “A Física da Imortalidade”, Frank Tipler, Ed. Bizâncio. O autor, Professor do Departamento de Matemática da Universidade de Tulaine, Nova Orleães, faz a ligação entre a cosmologia moderna, Deus e a ressurreição dos mortos. Obra integrada na colecção “Máquina do Mundo”, dirigida por J. Félix Costa. A revista “Science” chama-lhe “uma obra-prima”.
  • “Deus e a Ciência”, Gerald L. Schroeder, Ed. Europa América. O autor, doutorado em Física pelo MIT, faz a síntese entre os conhecimentos científicos e os ensinamentos bíblicos, no tocante à origem e evolução do Universo, da Vida e da Humanidade, de forma a demonstrar não só a complementaridade entre ambas as leituras, como a sua interdependência.
  • “A maldição do Cristo genérico”, Eugene H. Peterson, ed. Mundo Cristão. O autor, que é docente de Teologia Espiritual no Regent College, Canadá, combate a tendência para a banalização da figura de Jesus Cristo na espiritualidade actual.
  • “As mil e uma noites”, Ed. Círculo de Leitores. O mais famoso clássico da literatura árabe.

5 comentários a “Biblioteca”

  1. Dr. Brissos,

    Gostaria muido de adquirir DEUS E A CIENCIA DE

    Gerald Schroeder, onde posso adquirir, no Brasil ?

    Pode ser usado.

    Um Abraço,

    Homero de Arruda

  2. Não faço ideia. Terá que tentar pesquisar num motor de busca na net, ou nas grandes livrarias de São Paulo, por exemplo.

  3. Ola me amado Brissos, nao deve se lembrar de mim, sou William fui frequentei a comunidade Jubileu nos anos de 2001 e 2002, brasilieiro, amei o site e os livros sugeridos, principalmente o do Eugene, um dos meus escritores favoritos, veja tambem algum de Manning Acho que vais gostar.

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

“Alegrai-vos porque já achei a minha ovelha perdida” (Lc 15:6); “Ovelhas perdidas foram o meu povo, esqueceram-se do lugar do seu repouso” (Jr 50:6).

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 383 outros seguidores

%d bloggers like this: