Amor alfa e ómega

“O que me interessa é que se viva e se morra pelo que se ama.”
(Albert Camus, “A Peste”)

O amor é o alfa e o ómega
o fio condutor da História
dá sentido ao som do sino
à língua dos anjos
ao martírio do corpo
pelo amor se vive e se morre
mas o que mata não é amor
é equívoco
interior
se eu morrer um dia
que seja por amor
já que só por ele eu vivo.

Palmela, Junho de 2008

© Brissos Lino

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s