Palavras perdidas (1216)

“Quem olha hoje para a Assembleia da República não pode deixar de reparar nas muitas mudanças operadas em poucos dias. Desde logo, a nova centralidade que o Parlamento assumiu na ausência de um governo de maioria absoluta. António Costa tem apoios parlamentares que faltaram a Passos Coelho, mas não se pode dizer que disponha de maioria absoluta. E isso faz toda a diferença.

A diferença de ser o primeiro governo socialista apoiado à sua esquerda. A diferença de ser o primeiro governo da responsabilidade do segundo partido saído das eleições. A diferença de, em três semanas, quem liderava a oposição ter passado a liderar o governo, e vice-versa. Tudo normal, democrático, constitucional e politicamente legítimo. Descontada a retórica e o discurso de conveniência, a realidade política é esta.”

(António José Teixeira, Expresso)

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s