Palavras perdidas (1226)

“Recordam-se da gritaria da direita a respeito deste orçamento? Recordam-se da satisfação com que os arautos dos partidos da direita repetiram que este orçamento seria chumbado sem apelo nem agravo pelos poderes de Bruxelas? Recordam-se do seráfico Marco António Costa a dizer que o orçamento não era credível, como se ele o fosse? Recordam-se da voz embargada de emoção com que os comentaristas da direita que enchem os telejornais desenhavam cenários de queda do Governo devido ao fim do apoio dos partidos à esquerda do PS e liam nas borras de café a perdição de António Costa? Recordam-se da emoção com que o PSD e o CDS anunciavam um novo resgate, uma nova troika, uma nova austeridade? Recordam-se dos líderes do Partido Popular Europeu repreendendo publicamente o governo português por fazer um orçamento que defende os interesses nacionais, com uma desfaçatez que não pode deixar de ter sido avalizada pelo PSD e pelo CDS? Recordam-se dos mesmos líderes a criticar o governo português por ser apoiado por “partidos antieuropeístas” como se fosse proibido ser crítico da UE? Recordam-se de Jorge Braga de Macedo a defender que Bruxelas deve tratar Lisboa com mais severidade agora que o governo português não está alinhado com a ideologia dominante na Comissão porque tem apoios (outra vez) de “partidos antieuropeístas”?”

José Vítor Malheiros, Público

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s