Uma voz suave que grita

edição de Fernando Luis Peréz Poza, Pontevedra, 2014 (2)

dedic (2)

Recebi o último livro do meu amigo poeta J. T. Parreira, “Esperar que a voz seja suave”, com uma dedicatória especial, e deixo um poema do autor (mas que não faz parte da obra):

NAMORO À ANTIGA

Depois de Lou Reed arrebatar o público
num dia perfeito,
começaram a tocar
os dedos um ao outro
até ao fundo das mãos.
A mão direita dela disse sim
e a esquerda dele aprisionou-se,
parecia
para sempre.

© João Tomaz Parreira

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s