Descritivo do amor no Cântico dos Cânticos (inédito de João Tomaz Parreira)

 

A sombra do meu amado faz arder os meus olhos.

As suas mãos perfumadas no meu rosto

São a água matinal, nos meus cabelos

O paladar dos cachos de uvas o tornam ébrio.

A chama do seu amor faz arder

As sombras. As maçãs na sua boca

São minhas, são meu alimento. A minha beleza

De jovem Sulamita o constrange, não sabe

Onde pôr a sua mão direita.

Enquanto a sua mão esquerda é um fogo

Debaixo da minha cabeça. Todos os meus ossos

Tremem com o açúcar da sua voz.

 

20-06-2016

© João Tomaz Parreira

 

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s