O túnel

Uma parábola que ilustra muito bem a que chegou a nossa sociedade pós-moderna e relativista. 

Um comboio entra dentro de um túnel. Os passageiros dão-se conta disso: parece ser um túnel como tantos outros pelos quais passaram anteriormente, um túnel que, como é sabido, tem princípio e fim. Mas a travessia do túnel dura e dura, a velocidade aumenta. As pessoas começam a inquietar-se. Por fim, um dos passageiros faz das tripas coração e dirige-se à cabine do condutor da locomotiva. Está vazia! E o comboio precipita-se mais e mais para o abismo.

Fonte: Der Tunnel, Friedrich Dürrenmatt, enviado por Vitor Rafael.

Advertisements

1 comentário a “O túnel”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s