Arquivo da categoria: Arte, Educação, Cultura

Recusa

 

“We shall not always plant while others reap”
Countee Cullen(New York, 1903-1946)

Nem sempre vamos plantar, para outros colherem
Nem sempre deitar árvores abaixo, para outros
entalharem na madeira as formas
dos deuses ou demónios que trazem nos dedos
Não será para sempre
que vamos levantar do mar as pérolas
para outros costurarem a beleza
Nem sempre ver
como a Esfinge, o que outros não conhecem
Chega de construções para outros fazerem tabula rasa.

04-02-2016
© João Tomaz Parreira

Morreu o homem que deu voz a Bugs Bunny

Bugs Bunny, Daffy Duck, Tweety, gato Silvestre. Personagens clássicas da animação, a quem Joe Alaskey, que morreu na quarta-feira, aos 63 anos, deu a voz. Pode nunca ter visto a sua cara, mas ouviu-o em muitos desenhos animados ou jogos de vídeo.

Alaskey foi contrato pela Warner Bros. em 1989 para substituir Mel Blanc, após a sua morte.

Ator, humorista, dizia que cantava todos os dias para se manter em forma. Além de inúmeras personagens da animação clássica foi também ele que deu a voz a dois dos bonecos do filme “Quem Tramou Roger Rabbit” ou a Richard Nixon no filme “Forrest Gump”, protagonizado por Tom Hanks.

Além disso, também dobrou alguns atores em séries de televisão ou filmes quando certas palavras tinham de ser substituídas. Por exemplo, em “Sucesso a Qualquer Preço”, realizado por James Foley, teve de “limpar” 62 palavrões ditos por Jack Lemmon.

Em 2004 ganhou um Emmy pela sua performance vocal na série “Duck Dodgers”.

Fonte: DN.

Naquela tarde chuvosa ia comprar-te flores

Selling flowers in the rain, Paris, circa 1950s. History in Pictures.

A vender flores na chuva, Paris, anos 1950. 
History in Pictures.

 

 

Naquela tarde chuvosa ia comprar-te flores

mas tremi que não aceitasses

voltei atrás

e então tremi que não me desses o teu perdão

 

de repente pensei que só te compro flores

depois de fazer alguma asneira

e estender-tas com uns olhos de carneiro mal morto

como quem implora misericórdia. Mas depois entendi

que as flores crescem sem culpa

 

nem da chuva.

 

 

José Brissos-Lino ©

3/2/16

O vício

O animador alemão e professor da Universidade de Harvard Andreas Hykade usa a animação para explorar e ilustrar as muitas faces da condição humana. Em seu recente curta para Filmbilder, Hykade aborda a estrada tumultuada da dependência a partir da perspectiva de um pássaro chamado “Nuggets”.

Fonte: Up date or die, via Pavablog.

A Cultura é dinâmica

foto 2

Uma cultura não é estática, está em mudança constante. Valores fortes do passado enfraquecem num contexto novo, vivido pelas novas gerações, em função das necessidades que surgem, já que o mundo social também não é estático. Movimentos contraculturais como o punk ou o rock, são exemplos claros do processo de mudança de valores culturais que algumas sociedades viveram de forma generalizada.

O contacto com outras culturas também modifica a nossa. O processo de aculturação, onde uma cultura absorve ou adopta certos aspectos de outra a partir do seu convívio, é comum na actual realidade globalizada, onde temos ligação quase permanente com culturas de todas as formas e lugares possíveis.