Arquivo da categoria: Portugal

O Ministério Público existe?

O Ministério Público tem uma boa oportunidade de provar agora a sua utilidade para o país. Só tem uma de duas coisas a fazer. Ou prende Arnaldo Matos e a cúpula do MRPP com a acusação de terrorismo, ou internam compulsivamente essa gente num hospício. Não é possível escrever o que eles escreveram e o partido continuar a apresentar-se a eleições, como se fosse um partido democrático e respeitador da Constituição da república. Vou ficar à espera.

Palavras perdidas (1242)

“O BCE – como supervisor do sistema financeiro europeu – está a tentar reduzir ao máximo o número de instituições financeiras a controlar. E acaba por se comportar como um intermediário dos grandes interesses financeiros internacionais. Foi assim com o Banif. E tudo parece se concretizar no caso da CGD. Nem que isso represente passar por cima da vontade do poder político soberano nacional.

Começou por limitar-se a possibilidade pelo Estado para reforçar o capital da CGD. Depois, face ao absurdo que era a UE permitir o reforço do capital dos bancos privados, mas não o dos públicos, surgem por parte das instâncias comunitárias as limitações à aplicação de verbas públicas por prejudicar as metas orçamentais previstas. Aplicam-se sanções, nem que sejam simbólicas, mas tudo aparenta ter outro objectivo. As metas não são importantes: a meta é a CGD.”

(João Ramos de Almeida, Ladrões de Bicicletas)

Palavras perdidas (1238)

“Não ter a noção do ridículo é perder o respeito. A Europa está à beira de perder as duas coisas: a noção do ridículo e o respeito dos cidadãos. Vamos diretos ao assunto: pensar em aplicar sanções a Portugal por causa de duas décimas de défice é só estúpido. Se este assunto fosse assim tão simples, não seria grave. A questão é política, só. No essencial, a Comissão Europeia quer, à força, obrigar o Governo de António Costa a apresentar mais medidas, o tal plano B. E Costa, que já percebeu isso há muito tempo, decidiu aceitar o braço de ferro. Primeiro, porque não quer perder a face. E segundo, porque a sobrevivência política do Governo também depende disso. Se Portugal tiver que sofrer sanções, paciência. Culpa-se o governo anterior e segue-se em frente.”

(Anselmo Crespo, SIC Notícias)

Segundo os empresários: o investimento deve disparar em 2016

O Investimento deve disparar em 2016 segundo empresários para uma taxa de 6,0%.

O inquérito de conjuntura ao investimento divulgado pelo INE relativo a opiniões recolhidas juntos de mais de 4000 empresários gestores de empresas nacionais (incluindo a recolha censitária das empresas com mais de 200 trabalhadores) revela um forte reforço das intenções de investimento para 2016.

A taxa de resposta global do inquérito foi de 97,7%.

Ler aqui.

Palavras perdidas (1237)

“Durão há muito que vendeu a alma ao Diabo. Não sinto orgulho nenhum, rigorosamente nenhum, em ver Durão Barroso chegar onde chegou. Dele não tenho inveja nenhuma, só vergonha e pena. Vergonha, porque vai haver muito quem lembre que ele é português, como ele próprio sempre fez. Pena, porque ele teve oportunidades para ajudar a mudar o mundo e preferiu mudar a vida dele.”

“Ele ainda tem o número de telefone de Obama, Merkel e companhia, pois que lhe façam bom proveito. Aos portugueses é que nunca os contactos de Durão serviram para coisa boa. Fomos com Bush para a guerra e com Merkel para o castigo. Isso, é verdade, ficámos a dever a Barroso. Que Deus o perdoe!”

(Paulo Baldaia, DN)