Uma questão de poder

As acções da Benfica SAD encerraram ontem na Euronext Lisboa a subir quase um por cento, no dia em que foi conhecido o falhanço da OPA lançada por Joe Berardo e a mudança de treinador da equipa de futebol principal. Ou seja, porque vem para o clube um novo treinador, de que a massa associativa gosta (ao contrário do anterior), e por isso lhe renova as esperanças de sucessos desportivos, a cotação das acções na bolsa sobem de imediato.
Está mais do que visto que o futebol já não pertence ao domínio do desporto, mas sim do poder, económico, político, etc.

Eles é que sabem o que é bom para nós!

A destruição de cerca de um hectare de milho transgénico, na passada sexta-feira, na Herdade da Lameira, Silves, teve o objectivo de “evitar um mal maior”, comentou ontem o irresponsável arvorado em porta-voz do grupo de vândalos, chamado Verde Eufémia, ainda se queixando que os agricultores agrediram os meninos. É preciso ter lata. Espera-se que os indivíduos venham mesmo a ser responsabilizados criminalmente pelo acto, ou seremos a república das bananas da Europa.

Dr. House, versão 4

O Dr. House é considerado um génio da medicina, trabalha como chefe de uma equipa de médicos responsáveis por diagnosticar casos raros e misteriosos. Teve um problema de saúde numa das pernas, que quase o obrigou a amputá-la. A discussão sobre o tratamento adequado da perna, custou-lhe o casamento.
Hugh Laurie foi eleito o médico mais sexy da televisão numa pesquisa, pelo seu desempenho neste papel. Em 2007 conquistou um prémio americano na categoria de “Melhor actor em série dramática”. No currículo constam ainda outros prémios como a nomeação para o Emmy Awards em 2005. Antes de ser actor praticava remo, e ganhou alguns prémios desportivos. Já escreveu novelas também, como “The Gun Seller” e “Paper Soldier”.A série “Dr. House” é exibida em 250 emissoras televisivas mundiais, confirmando o sucesso do médico mais antipático dos últimos tempos. Segundo a FOX, a quarta temporada chegará às televisões ainda este ano. A série revelou-se brilhante e é vista, todas as semanas, por uma média de 27 milhões de pessoas nos EUA. A terceira temporada continuou o bom nível das anteriores e chegou mesmo, nalguns momentos, a superá-la.

Tudo na mesma em Roma

Foto: Nuno André Ferreira

D. José Saraiva Martins, Prefeito da Congregação para as causas dos santos, é a principal figura do clero nacional e um dos poucos portugueses a atingir o topo da Cúria Romana. Em entrevista ao “Correio da Manhã” fala alinhado com a política oficial do Vaticano, como não podia deixar de ser.
Questionado sobre a necessidade de a igreja católica continuar a fazer santos e beatos, diz que “estamos sempre a precisar de novos exemplos de virtudes”, como se as virtudes das figuras bíblicas e a memória dos que partiram não fosse suficiente como exemplo e inspiração, além da figura do próprio Cristo. Chama, também, “guias do povo” às figuras elevadas aos altares, como se os guias dos cristãos não fossem (ou devessem ser) os seus pastores, o testemunho das Escrituras, e o Espírito Santo.
Defensor do celibato obrigatório, argumenta com a tradição do catolicismo-romano para impedir a ordenação de mulheres, sem nunca fundamentar teologicamente aquela orientação. Mas arrisca-se muito quando, pretendendo ser categórico, afirma: “(…) a ordenação das mulheres nunca acontecerá”. Confira aqui:

http://www.correiomanha.pt/noticia.asp?id=254553&idselect=229&idCanal=229&p=200

Os amantes sem dinheiro

Tinham o rosto aberto a quem passava.
Tinham lendas e mitos
e frio no coração.
Tinham jardins onde a lua passeava
de mãos dadas com a água
e um anjo de pedra por irmão.

Tinham como toda a gente
o milagre de cada dia
escorrendo pelos telhados;
e olhos de oiro
onde ardiam
os sonhos mais tresmalhados.

Tinham fome e sede como os bichos,
e silêncio
à roda dos seus passos.
Mas a cada gesto que faziam
um pássaro nascia dos seus dedos
e deslumbrado penetrava nos espaços.

Eugénio de Andrade

“Alegrai-vos porque já achei a minha ovelha perdida” (Lc 15:6).

%d bloggers like this: