Paul Robeson – “Go Down Moses”

http://www.youtube.com/watch?v=W76QjLsQADQ

Anúncios

O tempo

Martin Luther King disse um dia: “Se eu soubesse que o mundo terminaria amanhã, hoje ainda plantaria uma árvore.”
Toda a gente se queixa da falta de tempo, mas o tempo é aquilo que se faz com ele.
Há quem não saiba gerir o seu tempo, há quem clame por mais tempo, há quem desperdice tempo, há quem não saiba valorizar o tempo de que dispõe, há quem tenha as prioridades trocadas, há quem não dê pelo tempo passar, e há quem deseje fazê-lo parar.
A Bíblia ensina a não gastar dinheiro com aquilo que não é pão, que não pode satisfazer. Ora, como o tempo é dinheiro, diz o povo e muito bem, logo, gastar tempo inutilmente é deitar dinheiro à rua.
Não será?

Maioria absoluta

Segundo sondagem da Marktest para o DN e a TSF relativos ao mês de Julho, o PS parece ter recuperado o fôlego para uma maioria absoluta em legislativas. O partido do Governo subiu quatro pontos nas intenções de voto relativamente ao mês anterior, atingindo os 44%. Em Junho, os socialistas tinham dado um tombo na popularidade junto dos portugueses.
Como o que está a dar é dizer mal do governo, convém dar destaque de primeira página às asneiras da governação ou aos artigos catastrofistas de Manuel Alegre, e menosprezar (remetendo para o interior) a notícia importante, que é esta: de acordo com o estudo, os portugueses voltariam hoje a dar a maioria absoluta a Sócrates e ao PS.
Assim como, ainda de acordo com o barómetro, o PSD não aparenta ter-se ressentido do descalabro de Lisboa, mantendo as intenções de voto.

“Alegrai-vos porque já achei a minha ovelha perdida” (Lc 15:6).

%d bloggers like this: