Que ilha aparece no cabeçalho?

Lalage: Pico ou Faial? Terceira?

Pois é, não sei. Deixemos permanecer o mistério até ver. Chamemos-lhe a Ilha Misteriosa…

Anúncios

O tamanho da pedra

Lalage: A grande surpresa que tive ao ver esta pedra foi o seu tamanho: nunca imaginei que fosse tão grande ;)
Só comentei porque tenho curiosidade de saber de que ilha é a imagem do teu cabeçalho (é que eu sou apaixonada pelos Açores).

É de facto muito grande. Já a vi, ao vivo, no Museu Britânico, em Londres. Quanto à ilha, nem tenho a certeza que seja nos Açores, embora esteja convencido disso. Só conheço S. Miguel e é lindíssimo. É que o modelo do cabeçalho é de um designer de blogs da WordPress. Lamento não poder responder melhor à tua pergunta.

Haja um responsável

Marques Mendes propõe directas no partido em jogada de antecipação, antes que apareça alguém a disputar-lhe o lugar. Ele sabe que o timing não é o melhor para os concorrentes.
Mas a responsabilidade da queda do executivo municipal, da escolha de um mau candidato, e da derrota política hoje verificada é-lhe inteiramente atribuível.

Começa a mexer

Os derrotados já começaram a tirar ilações (Telmo Correia), ou a sugerir que o fariam (Paulo Portas). Telmo Correia demite-se de líder parlamentar e da vice-presidência do partido e Portas convoca Conselho Nacional e reflecte sobre o que vai fazer.
Negrão fez o discurso esperado, da derrota. Finalmente assumiu que se filiará no PSD na próxima semana. Pena que andasse toda a campanha a proclamar que era independente. Não é uma atitude transparente.
O PCP mais uma vez joga com as palavras de forma enganadora. De facto não ficou em 3º. lugar como força política, ao contrário do que diz, mas sim em 5º.
Quanto a Marques Mendes mantém o silêncio. Já devia ter falado.

Primeiras impressões alfacinhas

As projecções dos resultados eleitorais apontam, desde já, para o seguinte:
Vencedores: PS, António Costa, José Sócrates e Carmona Rodrigues.
Derrotados: PSD, Fernando Negrão, Marques Mendes, Paula Teixeira da Cruz, PP, Telmo Correia e Paulo Portas. O candidato do PSD não podia ficar atrás de Carmona, em terceiro lugar, nem ter menos de 20% dos votos.
A abstenção é altíssima (cerca de 60%) e deve ter uma leitura política, mas não pode servir de desculpa para os derrotados.

Os 12 magníficos

Um comentário prévio ao resultado das eleições de Lisboa, é que a lei eleitoral deveria ser revista de modo a que quem se candidata “eternamente” a eleições com resultados consecutivos abaixo de 5% (muitos deles nem alcançam 1%), dever ficar impedido de o voltar a fazer, durante um mínimo período de tempo.
É o caso de cerca de metade dos 12 candidatos às eleições para a Câmara de Lisboa, que só gastam dinheiro e paciência aos portugueses, como é o caso do candidato do papel higiénico (Nuno da Câmara Pereira) e das palhaçadas pretensamente engraçadas (de Manuel Monteiro por interposta pessoa), por exemplo.

“Alegrai-vos porque já achei a minha ovelha perdida” (Lc 15:6); “Ovelhas perdidas foram o meu povo, esqueceram-se do lugar do seu repouso” (Jr 50:6).

%d bloggers like this: