O filho pródigo de Rembrandt

The return of the prodigal son
c. 1662 (210 Kb); Oil on canvas, 262 x 206 cm; The Hermitage, St. Petersburg

Rembrandt Van Rijn é uma das mais eminentes figuras na história da arte europeia. Trabalhou na tradição da arte protestante holandesa e nunca abandonou a terra natal. Foi um pintor tecnicamente brilhante e mostrou um novo tipo de percepção: ninguém antes dele fez as coisas comuns da humanidade parecerem tão profundamente sérias e interessantes. Nos seus quadros sobre episódios históricos e bíblicos, assim como nos retratos de contemporâneos, Rembrandt parece ir directo ao coração. A sua percepção pode ter sido baseada na exploração de si próprio, pois pintou a sua imagem repetidas vezes.
Nasceu em 15 de Julho de 1606 na cidade holandesa de Leyden, filho de um moleiro próspero que lhe deu uma educação sólida. Rembrandt, deve ter escolhido quase que imediatamente tornar-se artista, pois fez uma formação de três anos com um pintor local.
Durante alguns anos, Rembrandt trabalhou como pintor de quadros bíblicos e mitológicos. Em 1631, ou no início de 1632, mudou-se para Amesterdão, onde fez sucesso com A Lição de Anatomia do Dr. Tulp.
Em 1634, Rembrandt casou. Três filhos morreram na infância, e embora um dos filhos, Tito, tenha nascido em 1641 e sobrevivido, Saskia, a esposa de Rembrandt, viria a morrer no ano seguinte. Mesmo assim, este foi o ano em que o artista pintou o mais celebrado de seus quadros, A Ronda Nocturna e alcançou sucesso público. A partir daí, a vida particular de Rembrandt tornou-se mais complicada, vindo a morrer em 1669.

A Obra.
O seu quadro, que seleccionámos, é O Regresso do Filho Pródigo, que está no Museu Ermitage, em San Petersburgo, cujo foco, o centro dramático onde a luz incide, é o contacto entre o pai e o filho acabado de chegar. A cabeça do filho encostada ao peito e aquela posição de sujeição ao pai, perante a contenção dos outros elementos-testemunhas presentes, que aguardam, expectantes, são factores que falam com eloquência do momento do retorno a casa. Curiosamente não há palavras, apenas gestos. E aqueles silêncios que por vezes se tornam ensurdecedores.
Roto, meio descalço, abatido, arrependido, surpreso pelo acolhimento paternal, está lá tudo.
As mãos do pai repousam cuidadosa e delicadamente nas costas do filho regressado. Estão abertas, como que a acalmar o seu coração e a garantir-lhe, pelo toque, a sua intenção inequivocamente perdoadora e o desejo de ver este filho que estava perdido, agora restaurado, de novo “achado” para o pai.

About these ads

11 comentários a “O filho pródigo de Rembrandt”

  1. O mais lindo desta obra são as mãos, sendo uma feminina e outra masculina, quer dizer o amor de Deus é um amor Materno e paterno.Esta é uma das obras que mais tocam a sensibilidade de quem estava perdida e foi ao regresso do pai e recebeu este amor materno e paterno.

  2. O manto exuberante do Pai é pintado de vermelho que além de demostrar a sua riqueza, sugere a forma de acolhimento, proteção e aquietação.

  3. Caspar David Friedrich: pintor luterano romântico, vale a pena conhecer!pq nem só de Rembrandt vivem os cristãos apreciadores da arte!
    o mesmo para Lucas Cranach, Hans Holbein,Beuys…

    Já que todos adoram o Rembrandt…
    O quadro mais conhecido de Rembrandt é este:

    abraços

  4. O autor comparou a incidência da luz no quadro de Rembrandt “A volta do filho pródigo” e os diferentes ângulos de observação deste quadro sob a influência da luz com as diversas maneiras de relacionamentos interpessoais, e, principalmente da relação do homem com DEUS.Ele foi relatando todos “os olhares” das quatro testemunhas deste encontro e também do pai com os seus filhos,e, finalmente como o filho pode se tornar Pai.
    Muito profundo!!!
    Uma lição de vida!!!

    Que o amor do pai misericordioso seja uma constante em nossas vidas!
    A paz de Cristo!!!

  5. MELHORES CUMPRIMENTOS! PARABÉNS PELO TRABALHO. COMO POSSO ADIQUIRIR O LIVRO A VOLTA DO FILHO PRÓDIGO? TENHO URGÊNCIA. OBRIGADA

  6. O AMOR DO PAI CHAMA ATENÇÃO PELA NÃO-COBRANÇA, NEM DO PRÓDIGO,NEM DO FILHO MAIS VELHO QUE QUESTIONA A ATITUDE AMOROSA DO PAI.DEUS QUER ESSA ATITUDE EM TODOS NÓS; AMAI O PRÓXIMO COMO A SI MESMO,SEM LIMITES.

  7. “Obrigado. Há um quadro com esse nome, mas um livro, desconheço”.

    O livro é “A volta do filho pródigo”, do Padre Henry J. M. Nouwem, falecido há alguns anos. O livro nasceu do encontro do autor com reprodução da tela de Rembrandt. Esse encontro resultou numa longa jornada espiritual, que deu origem ao livro.

  8. Sentir-se amado e tudo o que o ser humano deseja. A arte, por vezes, proporciona -nos uma reflexao, tao necessaria, para que nos sintamos proximos do Pai. Sentir o calor, o amor e o perdao do Pai, traz- nos a paz a confianca e a esperanca na verdadeira Vida.

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s