Arquivo da categoria: Actualidade

Desvendado mistério de foto viral de criança síria que “se rende”

meninasiria

 

Milhares de pessoas compartilharam a imagem de uma criança síria com as mãos para cima, como se estivesse se entregando, ao confundir a câmera fotográfica com o cano de uma arma.

Mas quem fez este flagrante?

A imagem começou a viralizar no Twitter na terça-feira da semana passada, quando foi postada por Nadia Abu Shaban, uma fotógrafa baseada em Gaza.

A mensagem original foi retuitada mais de 11 mil vezes. “Estou chorando”, “muito triste” e “a humanidade fracassou” foram alguns dos comentários.

Na sexta-feira, a imagem foi compartilhada no Reddit, onde recebeu mais de 5.000 votos positivos e 1.600 comentários.

Não demorou para que surgissem acusações de que a foto era falsa. Muitos no Twitter questionaram quem seria o autor da foto e por que a imagem havia sido postada sem crédito.

Nadia confirmou que não tinha tirado a foto, mas não sabia explicar quem havia feito a imagem.

No Imgur, um site de compartilhamento de imagens, um usuário pesquisou a origem da fotografia – um clipping de um jornal – e disse que ela era real, mas tirada “por volta de 2012″. A mensagem também nomeou o fotógrafo: o turco Osman Sagirli.

A BBC conversou com Sagirl, que agora trabalha na Tanzânia, e desvendou o mistério.

A criança é uma menina, Hudea, de 4 anos. A imagem foi tirada no campo de refugiados de Atmeh na Síria, em dezembro do ano passado. Hudea viajou ao campo – a cerca de 10 km da fronteira turca – com a mãe e dois irmãos, a 150 km da cidade deles, Hama.

“Eu usei uma lente de telefoto e ela pensou que fosse uma arma”, disse Sagirli.

“Depois que eu tirei, eu olhei [para a foto] e percebi que ela [a criança] estava assustada, porque ela mordeu os lábios e levantou as mãos. Normalmente, crianças correm, escondem os rostos ou sorriem quando veem uma câmera”, disse.

Ele diz que fotos de crianças dos campos de refugiados são especialmente reveladoras.

“Você sabe que há pessoas que foram desalojadas nos campos. Faz mais sentido ver o que elas sofreram através das crianças e não dos adultos. São as crianças que refletem os sentimentos com a inocência que têm.”

A imagem foi publicada inicialmente no jornal “Türkiye” em janeiro e foi amplamente compartilhada pelas redes sociais em turco, mas só na semana passada se tornou viral em mídias na língua inglesa.

 

Fonte: BBC Brasil, via UOL e Pavablog.

 

PS-Madeira brincou à política

A caldeirada com que o PS se apresentou às eleições de ontem na Madeira, aliada a uma liderança vulgar, imberbe e sem carisma só podia dar nisto. Ainda que o PSD-Madeira tenha ganho a maioria absoluta por escassos 5 votos, e mais de metade dos eleitores não se tenha dado ao trabalho de ir votar.

 

HH: vamos com calma

Link permanente da imagem incorporada

 

O Poeta HERBERTO HELDER é enorme pelo seu mistério.
Toda a sua grande poesia parece nascer espontâneamente, da natureza poética dos deuses.
Mas em pleno Centenário da Orfeu, é excessivo dizer que “a grande revolução do século XX português foi a Poesia de Herberto Helder”, mesmo tendo em conta o seu Surrealismo. No sentido da descoberta na juventude de um autor fundamental, sim; também aconteceu comigo ao lê-lo no final da década de 60 na Guerra Colonial. Todavia no sentido da História da Literatura portuguesa do XXº Século não, porque Herberto Helder é enorme entre outros enormes, cito três: António Ramos Rosa, Eugénio de Andrade, José Régio…
E, já agora, a grande revolução da poesia do século vinte português não continuará sempre a ser Álvaro de Campos?

© JTP

Paulo Núncio: deixe-se de brincadeiras

 

Cronologia da crise da lista VIP ou as vantagens de se mostrar distraído

Proponho-lhe a revisitação à versão oficial sobre a lista VIP e tentar perceber se é verosímil.

O texto é longo, mas dá para perceber que o secretário de Estado Paulo Núncio (SEAF) estevepelo menos um mês sem curiosidade de pedir mais informação à Administração Tributária (AT), ou de confrontar o seu director-geral com as saraivadas de notícias e comentários sobre a lista VIP. E que o director-geral esteve igual período sem achar que o assunto era suficientemente importante para informar a tutela do que se passara na realidade.

Ler artigo completo aqui.

Cofres cheios e dívida até ao pescoço

 

A pergunta que se impõe, por estes dias, é se os portugueses elegeram um governo com o objectivo primeiro de “encher os cofres” do país, ou se a preocupação dos eleitores não seria antes ter um governo que cuidasse da sua qualidade de vida.

A segunda questão a colocar é se a promessa eleitoral do então candidato a primeiro-ministro foi a de “encher os cofres” do país, ou se, pelo contrário, terão sido outras, bem diferentes.

Uma coisa é certa: é impossível não estabelecer um paralelo entre estas declarações e a propaganda do regime salazarista, que tinha os cofres apinhados de barras de ouro e o povo a viver na miséria.

Tratou-se dum expressão infeliz da ministra das Finanças, como diz Marcelo Rebelo de Sousa? Talvez. Mas o facto de Passos Coelho ter vindo reforçar a nota só o desqualifica ainda mais a ele próprio e ao seu governo.

O problema é que a comparação é fatal para Passos Coelho, uma vez que Salazar não estava enterrado em dívidas, e este governo aumentou a dívida do país exponencialmente desde que tomou posse. Ou seja, temos dinheiro mas não é nosso e estamos envididados até ao pescoço. Grande coisa.